Viagem Literária encerra, com sucesso, jornada de contação de histórias para mais de 20 mil pessoas

Nova etapa irá tratar, pela primeira vez, da literatura fantástica

O módulo de contação de histórias da 12ª edição do Viagem Literária 2019 foi concluído no final de maio, com excelentes resultados. O balanço positivo é fruto da valiosa troca de experiências que se deu entre narradores, profissionais das bibliotecas, o público e os municípios.

Ao todo, 76 bibliotecas públicas da capital e do interior paulista abriram suas portas, decoraram seus espaços e motivaram seus usuários, para receber o programa.

E foi nesses espaços de livros e conhecimento que circularam 20 mil pessoas, de diferentes idades, interessadas em ouvir contos, fábulas, narrativas. “Ao final da apresentação, quando mostrei os livros de onde as histórias que eles ouviram haviam saído, eles levantavam a mão e diziam: eu quero, eu quero! Eles se interessaram muito pela leitura”, conta a atriz Simone Grande, da Fabulosa Companhia, sobre a contação em Cananéia.

Já em Buritizal, o que mais chamou a atenção do grupo A Hora da História foi o envolvimento das escolas, que usaram a criatividade e produziram trabalhos com diferentes linguagens, baseados na leitura prévia dos livros. Havia desenhos, pequenas encenações e até uma árvore com coelhos pendurados, um de cada cor, dialogando com a história da “Menina Bonita do Laço de Fita”.

Dessa forma, o programa, que é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, realizado pela Organização Social SP Leituras por meio do SisEB (Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo) vai cumprindo seu papel de incentivar a formação de novos leitores e o prazer da leitura para um público cada vez maior.

“A coordenadora se preocupou com uma coisa sobre a qual muito tem se falado nos últimos tempos, mas pouco se tem feito: a inclusão! Foi lindo ver um público tão misto”, afirma Leandro Pedro, da Cia. Ih, Contei!, referindo-se à Biblioteca Pública Municipal Castro Alves, de Rancharia.  Segundo a contadora de histórias Andreísa Cangussú, da Cia. Bisclof, turmas da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais e de uma clínica psiquiátrica de Adamantina também participaram da apresentação e, ao final, interagiram com o monstro monstruoso [personagem do livro], conversaram e tiraram fotos.

Mais trocas com o público aconteceram em Várzea Paulista, como descreve a narradora Heidi Monezzi. “Enxerguei a necessidade de tratar de um tema tão profundo: aceitarmos o outro como ele é. Muitas crianças, professores e pessoas que trabalham nas bibliotecas ficaram emocionadas e tocadas pela experiência proporcionada pela narrativa”.

Além do encantamento das histórias, a vivência do espaço público da biblioteca também foi destacada. “As crianças demonstraram sede. Muitos já saíram lendo, retirando livros, rindo e brincando. Tiveram uma experiência positiva no espaço público. Muitos já planejavam voltar”, observou o Marcelo Cunha, do Ateliê Teatro, na Biblioteca Municipal Rubens do Amaral, em Jaú. “A expectativa é de que a parceria seja duradoura”, afirma o secretário adjunto da Secretaria de Cultura e Turismo de Jaú, Rafael Peloso, referindo-se ao município que foi contemplando pela primeira vez pelo programa. Em Ubarana, segundo o diretor cultural da Prefeitura, Luis Ricardo Gonçalves, o programa “foi uma importante ação realizada na cidade que só veio a contribuir com a nossa biblioteca, que necessita destas parcerias para alavancar cada vez mais o número de usuários e o incentivo à leitura”.

E tem mais: o Viagem Literária volta em setembro! Pela primeira vez trará o tema da Literatura Fantástica, cujas narrativas são baseadas em personagens e cenários imaginários e que tanto agradam os jovens. Para chegar às 76 bibliotecas, os convidados irão percorrer outros 12 mil quilômetros.

Aguarde mais informações sobre essa fantástica Viagem Literária!

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *